Luz para a inteligência, Calor para a vontade

quinta-feira, 10 de setembro de 2015

O processo de formação das palavras (Pasquale & Ulisses)

(Continuação da obra "Gramática da Língua Portuguesa", de Pasquale & Ulisses)


O PROCESSO DE FORMAÇÃO DAS PALAVRAS

A língua portuguesa apresenta dois processos básicos para formação de palavras: a derivação e a composição.

Há derivação quando, a partir de uma palavra primitiva, obtemos novas palavras (chamadas derivadas) por meio do acréscimo de afixos.

Isso ocorre, por exemplo, quando, a partir da palavra primitiva piche, formamos pichar, da qual por sua vez se forma pichação, pichador; também ocorre quando obtemos impessoal a partir de pessoal ou ineficiente a partir de eficiente.

Como veremos mais adiante, a derivação também pode ser feita pela supressão de morfemas ou pela troca de classe gramatical, mas nunca pelo acréscimo de radicais.

A composição ocorre quando formamos palavras pela junção de pelo menos dois radicais. Nesse sentido, diferencia-se da derivação, que não lida com radicais.

As palavras resultantes do processo de composição são chamadas palavras compostas, em oposição àquelas em que há um único radical, chamadas simples.

Eis alguns exemplos de palavras compostas:
lobisomem (em que se notam os radicais das palavras lobo e homem),
girassol (gira + sol),
beija-flor (beija + flor),
otorrinolaringologia (formada por radicais eruditos, trazidos diretamente do grego: oto + rino + laringo + logia).

DERIVAÇÃO

A derivação consiste basicamente na modificação de determinada palavra primitiva por meio do acréscimo de afixos. Dessa forma, temos a possibilidade de fazer sucessivos acréscimos, criando, a partir de uma base inicialmente simples, palavras de estrutura cada vez mais complexa:
escola
escolar
escolarizar
escolarização
subescolarização

Observe, assim, que a derivação deve ser vista como um processo extremamente produtivo da língua portuguesa, pois podemos incorporar os mesmos afixos a um número muito grande de palavras primitivas.

Esses acréscimos podem alterar o significado da palavra (como em escolarização/subescolarização) e também mudar a classe gramatical da palavra (como em escolarizar/escolarização, que são, respectivamente, verbo e substantivo). A derivação, quando decorre do acréscimo de afixos, pode ser classificada em três tipos: derivação prefixal, derivação sufixal e derivação parassintética.

DERIVAÇÃO PREFIXAL OU PREFIXAÇÃO

Resulta do acréscimo de prefixo à palavra primitiva, que tem o seu significado alterado; veja, por exemplo, alguns verbos derivados de pôr: repor, dispor, compor, contrapor, indispor, recompor, decompor.

Tradicionalmente, os estudiosos da língua portuguesa afirmam que a prefixação não produz mudanças de classe gramatical; na língua atual, entretanto, essas modificações têm ocorrido. Veja, por exemplo, as palavras antiinflação e interbairros, que, em expressões como pacto antiinflação e transporte interbairros atuam como adjetivos, apesar de terem sido formadas de substantivos.

DERIVAÇÃO SUFIXAL OU SUFIXAÇÃO

Resulta do acréscimo de sufixo à palavra primitiva, que pode sofrer alteração de significado ou mudança de classe gramatical. Em unhada, por exemplo, houve modificação de significado: o acréscimo do sufixo trouxe a noção de "golpe", "ataque feito com a unha", ou mesmo a idéia de "ferimento provocado pela unha". Já em alfabetização, o sufixo -ção transforma em substantivo o verbo alfabetizar. Esse verbo, por sua vez, já resulta do substantivo alfabeto pelo acréscimo do sufixo -izar.

Como já vimos, o acréscimo de afixos pode ser gradativo. Nada impede que, depois de obter uma palavra por prefixação, se forme outra por sufixação, ou vice-versa. Veja, por exemplo, desvalorização (valor  valorizar  desvalorizar  desvalorização); indesatável (desatar desatável indesatável); desigualdade (igual igualdade   desigualdade). São palavras formadas por prefixação e sufixação ou por sufixação e prefixação.

DERIVAÇÃO PARASSINTÉTICA OU PARASSÍNTESE

Ocorre quando a palavra derivada resulta do acréscimo simultâneo de prefixo e sufixo à palavra primitiva. É um processo que dá origem principalmente a verbos, obtidos a partir de substantivos e adjetivos.

Veja alguns exemplos de verbos obtidos de substantivos: abençoar, amaldiçoar, ajoelhar, apoderar, avistar, apregoar, enfileirar, esfarelar, abotoar, esburacar, espreguiçar, amanhecer, anoitecer, acariciar, engatilhar, ensaboar, enraizar, afunilar, apavorar, empastelar, expatriar.

Agora, alguns formados de adjetivos: enrijecer, engordar, entortar, endireitar, esfriar, avermelhar, empobrecer, esclarecer, apodrecer, amadurecer, aportuguesar, enlouquecer, endurecer, amolecer, entristecer, empalidecer, envelhecer, expropriar.

OBSERVAÇÃO:
Não se deve confundir a derivação parassintética, em que o acréscimo de sufixo e prefixo é obrigatoriamente simultâneo, com casos como os das palavras desvalorização e desigualdade, que vimos há pouco. Nessas palavras, os afixos são acoplados em seqüência; assim, como vimos, desvalorização provém de desvalorizar, que provém de valorizar, que por sua vez provém de valor.

É impossível fazer o mesmo com palavras formadas por parassíntese: não se pode, por exemplo, dizer que expropriar provém de "propriar" ou de "expróprio", pois tais palavras não existem; logo, expropriar provém diretamente de próprio, pelo acréscimo concomitante de prefixo e sufixo.

DERIVAÇÃO REGRESSIVA

Ocorre quando se retira a parte final de uma palavra primitiva, obtendo por essa redução uma palavra derivada. É um processo particularmente produtivo para a formação de substantivos a partir de verbos principalmente da primeira e da segunda conjugações. Esses substantivos, chamados por isso de verbais, indicam sempre o nome de uma ação.

O mecanismo para sua obtenção é simples: substitui-se a terminação verbal formada pela vogal temática + desinência de infinitivo (-ar ou -er) por uma das vogais temáticas nominais (-a, -e ou -o):
buscar -  busca
alcançar - alcance
tocar -  toque
apelar - apelo
censurar - censura
atacar - ataque
sacar - saque
chorar - choro
ajudar - ajuda
cortar - corte
abalar - abalo
recuar - recuo
perder - perda
debater -  debate
afagar - afago
sustentar - sustento
vender - venda
resgatar - resgate

É interessante perceber que a derivação regressiva é um processo produtivo na língua coloquial: surgiram recentemente na língua popular palavras como agito (de agitar), amasso (de amassar) e chego (de chegar).

Os substantivos verbais são sempre nomes de ação: isso é importante porque há casos em que é o verbo que se forma a partir do substantivo, como planta - plantar, perfume - perfumar, escudo - escudar. Planta, perfume e escudo não são nomes de ação; por isso não são substantivos verbais. Na verdade, eles é que são palavras primitivas, enquanto os verbos são derivados.

DERIVAÇÃO IMPRÓPRIA

Ocorre quando determinada palavra, sem sofrer qualquer acréscimo ou supressão em sua forma, muda de classe gramatical. Isso acontece, por exemplo, nas frases:
Não aceitarei um não como resposta.
É um absurdo o que você está propondo.

Na primeira frase, não, um advérbio, converteu-se em substantivo. Na segunda, o adjetivo absurdo também se converteu em substantivo.

Já em: Você está falando bonito: o amar é indispensável.
O adjetivo bonito surge na função típica de um advérbio de modo, enquanto o verbo amar se converteu em substantivo.

Resumo dos tipos de derivação

a) derivação prefixal ou prefixação - resulta do acréscimo de prefixo à palavra primitiva, que tem o seu significado alterado;

b) derivação sufixal ou sufixação - resulta do acréscimo de sufixo à palavra primitiva, que pode sofrer alteração de significado ou mudança de classe gramatical;

c) derivação parassintética ou parassíntese - ocorre quando a palavra derivada resulta do acréscimo obrigatoriamente simultâneo de prefixo e sufixo à palavra primitiva. É um processo que dá origem principalmente a verbos, obtidos a partir de substantivos e adjetivos;

d) derivação regressiva - ocorre quando se retira a parte final de uma palavra, obtendo-se por essa redução uma palavra derivada. É um processo particularmente produtivo para a formação de substantivos a partir de verbos principalmente da primeira e da segunda conjugações;

e) derivação imprópria - ocorre quando determinada palavra, sem sofrer qualquer acréscimo ou supressão em sua forma, muda de classe gramatical pelo simples uso circunstancial que dela se está fazendo.

PREFIXOS

Os prefixos são morfemas que se colocam antes dos radicais basicamente a fim de modificar-lhes o sentido; raramente esses morfemas produzem mudanças de classe gramatical. Os principais prefixos da língua portuguesa são de origem latina.

Na relação que se segue, colocamos as diversas formas que esses prefixos costumam assumir, o tipo de modificação de significado que introduzem no radical e vários exemplos. Muitos desses prefixos originaram-se de preposições e advérbios, e não será difícil para você relacioná-los com preposições e advérbios da língua portuguesa. Leia a relação com cuidado, concentrando-se principalmente nos exemplos.

Prefixo e significado
(Nota: a lista não abrange todos os prefixos utilizados na língua portuguesa.)

Prefixo a-, ab-, abs- (separação, afastamento, privação)
Exemplos: abdicar, abjurar, abster, abstrair, abuso, abusar, amovível, abster

Prefixo a-, ad- (aproximação, direção, aumento, transformação)
Exemplos: achegar, abraçar, aproveitar, amadurecer, adiantar, avivar, adjunto, administrar, admirar, adventício, assimilar

Prefixo além- (para o lado de lá, do lado de lá)
Exemplos: além-túmulo, além-mar, além-mundo

Prefixo ante- (anterioridade no espaço ou no tempo)
Exemplos: antebraço, antepasto, ante-sala, antevéspera, antepor, anteontem

Prefixo anti - (ação contrária, oposição)
Exemplos: antagonista, antítese, antiaéreo, antípoda, antídoto, antipatia, anticonstitucional, anticorpo, antifebril, antimonárquico, antissocial

Prefixo aquém- (para o lado de cá, do lado de cá)
Exemplos: aquém-mar, aquém-fronteiras

Prefixo bem-, ben- (de forma agradável, positiva ou intensa)
Exemplos: bem-aventurado, bem-vindo, benfeitor, benquisto, bem-apanhado, bem-apessoado, bem-nascido, bem-querer, bem-visto

Prefixo circum-, circun- (ao redor de, em torno de)
Exemplos: circuncentro, circunscrever, circunvizinhança, circunvagar

Prefixo cis- (posição aquém, do lado de cá)
Exemplos: cisandino, cisplatino, cisalpino

Prefixo co-, com- (contigüidade, companhia, agrupamento)
Exemplos: coabitar, coadjuvante, coadquirir, condiscípulo, combater, correligionário, conjurar, consoante, confluência, compor, cooperar, corroborar, conviver, co-irmão, co-herdeiro

Prefixo contra- (oposição, ação conjunta, proximidade)
Exemplos: contra-atacar, contra-argumento, contradizer, contrapor, contraprova, contrabalançar, contracheque, contracultura, contra-exemplo, contracapa, contracanto, contramestre

Prefixo de- (movimento de cima para baixo)
Exemplos: decrescer, decompor, depor, depender, decapitar, deliberar, decair

Prefixo des- (separação, ação contraria, negação, privação)
Exemplos: despedaçar, desfazer, desumano, desintegrar, desigual, desconforme, desobedecer, desmatar, desenganar, desunião, desfolhar; (às vezes serve apenas para reforço: desafastar, desinfeliz, desinquieto)

Prefixo dis-, di- (separação, movimento para diversos lados, negação)
Exemplos: difícil, dissidente, dilacerar, disseminar, distender, disforme, dissabor, divagar, difundir

Prefixo e-, es-, ex- (movimento para fora, separação, transformação)
Exemplos: emigrar, evadir, expor, exportar, exprimir, expatriar, extrair, esquentar, esfriar, esburacar, ex-presidente, ex-ministro, ex-namorada

en-, em-, i-, in-, im- (posição interior, movimento para dentro)
Exemplos: enraizar, enterrar, embarcar, embeber, imigrar, irromper, importar, importação, ingerir, inocular

entre-, inter- (posição intermediária, reciprocidade)
Exemplos: entreabrir, entrechoque, entrelaçar, entrevista, entretela, entrever, interação, intercâmbio, intervir, interromper, intercalar

extra- (posição exterior, fora de)
Exemplos: extraconjugal, extrajudicial, extra-oficial, extraordinário, extranumerário, extraterrestre, extravasar, extraviar

hipercrítíco, hiperdesenvolvimento, hiperestesia, hipermercado, hipermetropia, hipertrofia, hipersônico
hipo- (posição inferior, escassez) hipodérmico, hipótese, hipocalórico, hipogeu, hípoglicemia, hipotensão, hipoteca

in-, im- (negação, privação)
Exemplos: imoderado, inalterado, ilegal, ilegítimo, irrestrito, incômodo, inútil, incapaz, impuro, impróprio

intra- (posição interior), intro- (movimento para dentro)
Exemplos: intrapulmonar, intravenoso, intra-ocular introduzir, intrometer, intrometido, introverter, introjeção, introspecção

justa- (posição ao lado)
Exemplos: justapor, justaposição, justalinear

mal- (de forma irregular, desagradável ou escassa)
Exemplos: mal-humorado, mal-educado, mal-arrumado, mal-assombrado, malfeito, mal-assado, mal-aventurança, malcriado

met(a)- (mudança, sucessão, posterioridade, além)
Exemplos: metáfora, metamorfose, metafísica, metonímia, metacarpo, metátese, metempsicose

ob-, o- (posição em frente, diante, oposição)
Exemplos: objeto, obstar, obstáculo, obstruir, obstrução, opor, oposição

per- (movimento através), pos-, pós- (posterioridade, posição posterior)
Exemplos: perpassar, percorrer, percurso, perfurar, perseguir, perdurar posfácio, pospor, pós-escrito, pós-graduação, pós-eleitoral

pre-, pré- (anterioridade, antecedência)
Exemplos: premeditar, preestabelecer, predizer, predispor, pré-história, pré-adolescente, pré- amplificador

pro-, pró- (movimento para a frente, a favor de)
Exemplos: promover, propelir, progredir, progresso, proeminente, proclamar, prosseguir, pró-socialista, pró-britânico, pró-anistia

re- (movimento para trás, repetição)
Exemplos: refluir, reagir, reaver, reeditar, recomeçar, reviver, renascer, reanimar

retro- (movimento para trás)
Exemplos: retroação, retrocesso, retroceder, retroativo, retrógrado, retrospectivo, retrovisor

semi- (metade de, quase, que faz o papel de)
Exemplos: semicírculo, semibreve, semicondutor, semiconsciente, semi-escravidão, semi- analfabeto, semivogal, semimorto

sobre-, super-, supra- (posição acima ou em cima, excesso, superioridade)
Exemplos: sobrepor, superpor, sobrescrito, sobrescrever, sobrevir, supersensível, super-homem, supermercado, superdotado, supercivilização

soto-, sota- (debaixo, posição inferior)
Exemplos: sotopor, sotavento, sota-proa, sota-voga, sota-soberania

sub-, su-, sob-, so- (movimento de baixo para cima, inferioridade, quase)
Exemplos: sobraçar, soerguer, soterrar, sujeitar, subjugar, submeter, subalimentado subdesenvolvimento, subliteratura, subumano, submarino, subverter

tras-, tres-, trans- (movimento ou posição para além de, através)
Exemplos: traspassar ou transpassar, trasbordar ou transbordar, tresandar, tresvariar, transatlântico, transalpino, transandino, transplantar

ultra- (posição além de, em excesso)
Exemplos: ultrapassar, ultramar, ultravioleta, ultramicroscópico, ultraconservador, ultra- romântico, ultra-som, ultra-sofisticado

vice- (em lugar de, em posição imediatamente inferior)
Exemplos: vice-presidente, vice-diretor, vice-cônsul, vice-almirante, vice-rei, vice-campeão, vice-artilheiro

PREPOSIÇÕES E ADVÉRBIOS QUE TÊM SIDO USADOS COMO PREFIXOS

Preposição/advérbio: significado e exemplos

sem- (falta, privação, ausência)
sem-amor, sem-terra, sem-teto, sem-fim, sem- vergonha, sem-família

quase- (perto, aproximadamente, por pouco, pouco menos)
quase-delito, quase- equilíbrio, quase-posse, quase-suicida

não- (negação por exclusão)

não-alinhado, não-euclidiano, não-violência, não- engajamento, não-essencial, não-ficção, não-metal, não-participante

Nenhum comentário: