Luz para a inteligência, Calor para a vontade

segunda-feira, 11 de abril de 2016

Geografia do Brasil (Schneeberger & Farago) - 4


(Continuação da obra "Geografia do Brasil", 
de Carlos Schneeberger & Luiz Farago)



4. Vegetação


O Brasil apresenta uma grande variedade de paisagens vegetais, por sua grande extensão territorial e pela influência de vários fatores: clima, solo, relevo, fauna e ação humana. O fator mais importante é o clima, que exerce grande influência na distribuição dos vegetais, através da temperatura, umidade, pressão atmosférica e insolação. 

Como os seres vivos são constituídos em média por 70% de água, cuja presença varia de acordo com a variedade climática, os vegetais desenvolvem mecanismos de defesa para manter sua quantidade de água dentro dos limites adequados ao seu pleno desenvolvimento. 

Higrófitos: vegetais adaptados aos ambientes de elevada quantidade de água (comuns nas regiões de clima tropical superúmido ou equatorial). 

Xerófitos: vegetais adaptados aos ambientes com pouca água (comuns nas áreas do semi-árido nordestino). 

Normalmente, as formações vegetais são divididas de acordo com o porte dos vegetais que as compõem. Assim, podemos ter: 
- Formações arbóreas ou florestais (grande porte); 
- Formações arbustivas (médio porte); 
- Formações herbáceas (pequeno porte).

Formações florestais 

Originalmente eram as predominantes em nosso território, tendo sofrido ao longo dos tempos intensa devastação, o que levou largas áreas, principalmente próximas ao litoral, a perder quase totalmente sua cobertura original. É o caso do estado de São Paulo, que hoje não chega a ter 3% do seu território ocupado por vegetação florestal nativa. 

As principais formações florestais do território brasileiro são: 

- Floresta Latifoliada Equatorial (pluvial) 
Trata-se da Floresta Amazônica, batizada de Hiléia por Humboldt. É a maior floresta úmida do mundo em variedade e quantidade de espécies vegetais. Cobre uma área superior a 6 milhões de km², dos quais cerca de 4 milhões em território brasileiro. Sua vegetação predominante é do tipo higrófila, heterogênea, densa e latifoliada (vegetais com folhas largas). 

- Floresta Latifoliada Tropical 
Originalmente ocupava toda área do litoral brasileiro. Era estreita no Nordeste, alargava-se no Sudeste, e no Sul voltava a se estreitar. Composta por inúmeras espécies, de vegetação bastante densa (menos que a Floresta Latifoliada Equatorial), foi intensamente devastada pela lógica de ocupação do espaço adotada ao longo da história econômica do país. 

- Floresta Subtropical (araucária) 
Também conhecida como Mata dos Pinhais, é mais aberta e homogênea que as duas formações mencionadas anteriormente. É formada principalmente pela Araucária Angustifolia, espécie de pinheiro, e por algumas espécies associadas, incluindo as do tipo latifoliada, como a Imbuia, Canela, Cedro, etc. Originalmente ocupava os planaltos de clima tropical de altitude em São Paulo e Paraná, até as áreas de clima subtropical do Rio Grande do Sul. Sua intensa exploração levou a ser considerada extinta pelo IBDF (Instituto Brasileiro de Defesa Florestal) em 1985.

Formações herbáceas 

Como principais exemplos deste tipo de formação vegetal temos: 

- Campos ou Pradarias 
Predominam espécies rasteiras do tipo gramínea, caracterizada por pequenos arbustos espalhados pelo terreno. Quando grandes áreas do terreno são cobertas pelo tipo de vegetação predominantemente de espécies gramíneas, tem-se a formação de campos limpos; quando aparecem arbustos, trata-se de campos sujos. Cobrem os Pampas no estado do Rio Grande do Sul (Campanha Gaúcha), o sul do estado do Mato Grosso do Sul, e áreas elevadas da Serra da Mantiqueira no sul do estado de Minas Gerais, principalmente. 

- Cerrado 
Trata-se de vegetação predominantemente arbustiva, encontrada em quase todo Brasil Central, cobrindo particularmente o Planalto Central. Seus arbustos de galhos retorcidos podem aparecer espalhados ou em formações campactas. 

- Caatinga 
Vegetação típica do semi-árido nordestino, formada por espécies xerófitas, representada pelas espécies de cactáceas e bromeliáceas (mandacaru, xique-xique, facheiro, por exemplo).

Há ainda no território brasileiro duas outras importantes formações vegetais: a Formação Complexa e a Litorânea. 

Formação Complexa 

Vegetação que cobre toda a planície do Pantanal Mato-grossense, caracterizada por uma vegetal heterogênea, contendo extensas áreas de florestas tropicais entremeadas por formações herbáceas e arbustivas.

Formação Litorânea 

Representada pelo mangue, é uma paisagem vegetal típica de litorais tropicais como o nosso. Ocorre em terrenos baixos que sofrem a ação das marés ou da água salobra. Suas espécies vegetais são geralmente arbustivas, adaptadas a ambientes de grande umidade (vegetais higrófilos) e grande acidez (vegetais halófilos).

Nenhum comentário: